XVIII

As asas estão quebradas
O pássaro já não voa
Mas o céu continua infinitamente azul

Deixe seu comentário :)