XIV

Mato-te esperança
Na dança final do ser
E quando teu cadáver cai frio, percebo‍ que morri antes mesmo de você

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *