Tráfego

Embalado pelo tráfego,
Da lentos e grandes suspiros.
Alheio ao barulho das máquinas,
que mantém a cidade girando.

Embalado pelo tráfego,
Sonha tranquilamente.
Enquanto a realidade escapa dos olhos,
que vê pelas pálpebras um mundo inconsciente.

Embalado pelo tráfego,
O cérebro dorme em sua caixa.
Nutrindo as idéias em que deseja acreditar,
eliminando as idéias que não quer aceitar.

Embalado pelo tráfego,
de idéias, de pessoas, de sentidos,
braços acalentam o corpo desacordado
o gracejo final antes do despertar.

Mas está tudo bem, mesmo que durma,
Sabe que a máquina continuará girando
enquanto alguém estiver de pé.

Deixe seu comentário :)