O amor é uma falácia

Max Shulman

Eu era frio e lógico. Sutil, calculista, perspicaz, arguto e astuto – era tudo isso. Tinha um cérebro poderoso como um dínamo, preciso como uma balança de farmácia, penetrante como um bisturi. E tinha – imaginem só – dezoito anos.
Não é comum ver alguém tão jovem com um intelecto tão gigantesco. Tomem, por exemplo, o caso do meu companheiro de quarto na universidade, Pettey Bellows. Mesma idade, mesma formação, mas burro como uma porta. Um bom sujeito, compreendam, mas sem nada lá em cima. Do tipo emocional. Instável, impressionável. Pior do que tudo, dado a manias. Eu afirmo que a mania é a própria negação da razão. Continue reading “O amor é uma falácia”

Utopia do tempo certo

Pois só quem perde tempo
É quem acha que não tem mais tempo a perder

5 a seco – Vou mandar pastar

Na mitologia grega, Kairós, era descrito como um belo jovem de agilidades exímias. Possuía duas asas nos ombros e estava sempre correndo. Só era possível pará-lo agarrando-o de modo firme no topete que havia em sua testa.
Kairós representa o momento oportuno para fazer o que precisa ser feito. Se você deixar a oportunidade passar sem agarra-la, será bem difícil persegui-la depois. Continue reading “Utopia do tempo certo”

Sêneca: A brevidade da vida

Sêneca, foi um filósofo pré-socrático, que apesar de não muito comentado atualmente, teve ideias relevantes para as escolas de pensamento de sua época, sendo um dos representantes do estoicismo. Escreveu diversos livros e dentre eles, A brevidade da Vida, que será utilizado como base neste texto.
Quando Sêneca escreveu-o já estando em exílio político, imprimiu seus pensamentos no papel para que suas ideias fossem registradas. Talvez muitos se identifiquem com esses pensamentos, que mesmo datando de séculos, continua atual.
Podemos afirmar apriori, que não importa quanto tempo uma ideia tenha desde sua criação, mas sua influência, fundamento e objetivo determinam quanto tempo ela irá durar. Afinal, o conhecimento é eterno e quando bem construído pode atravessar os séculos, permanecendo terrivelmente atual.

Continue reading “Sêneca: A brevidade da vida”

Eternidade I

Postagem atualizada. 

O tema ‘morte‘ já foi exposto por aqui em alguns textos como  Vida e Morte (nesse texto você encontrará diversos argumentos de filósofos e a visão de algumas religiões sobre o assunto) e A Última Festa (crônica que ilustra uma situação pós-morte). Mas hoje o assunto vai na direção contrária  mas nem tanto dos mesmos, visto que se volta justamente a eternidade.
E se o homem não precisasse morrer? Se você tivesse a oportunidade de viver para sempre aceitaria a eternidade sem reclamações?

“Eterno é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade que se petrifica e nenhuma força o resgata.”

Carlos Drummond de Andrade

A eternidade é um conceito que se refere ao infinito, algo que não pode ser medido pelo tempo e que não se restringe a ele. Eterno portanto, é algo que não tem início nem fim.
Esse assunto (que é mais uma reflexão do que qualquer outra coisa) será divido em dois posts. Nesse primeiro texto iremos tratar da ideia de eternidade do homem quanto corpo.

Dito isso, vamos colocar em questão o fato de que o homem pudesse viver eternamente exatamente na forma que possui hoje, ou então, se tratando de uma suposição, você caro leitor, teria o poder de decidir em qual idade estaria seu corpo para que vivesse para sempre sem envelhecer, mas apenas você teria a eternidade. Você aceitaria?
Continue reading “Eternidade I”

Vida e Morte

Desde os primórdios da filosofia, o homem vem questionando diversos assuntos que despertam sua curiosidade e o levam a questionar a essência de sua própria vida. Partindo desse principio, temos em mente que o senso curioso é aquilo que move o ser humano a fazer descobertas e teorias, que são importantes para o desenvolvimento da vida como um todo.
Esta mesma curiosidade, atrelada a estudos e doses de questionamentos, levou certos pensadores a indagarem o que acontece após a morte. Afinal, para muitos a vida pode ser incerta durante seu percurso, mas sobre ela sabemos duas coisas: ela começa, e termina. Continue reading “Vida e Morte”

Equilíbrio

Certa vez, me perguntaram qual o segredo da vida, ou mesmo da felicidade, após refletir por alguns instantes, levando em conta diversos fatores, apenas uma resposta permaneceu em minha mente: Equilíbrio. Quando se trata da vida, em qualquer uma das esferas que você queira analisar: social, amorosa, financeira, etc. Se você não possuir equilíbrio não poderá viver plenamente nenhuma delas, viver sem equilíbrio é o equivalente a viver em um dos extremos, sempre tendendo a ficar em umas das pontas sem nunca ir além.
Ao contrário do que imaginam o equilíbrio não se refere a perfeição, a monotonia e tão pouco tem relação com a vida pacata que muitos idealizam. Saber viver em equilíbrio significa mesclar o bem e o mal, e saber escolher o certo pra você; significa experimentar Continue reading “Equilíbrio”