Comando Dédalo 23

As asas de ouro derretem ao sol do meio dia
E despencam no oceano escarlate
Em seu último voo pela liberdade

O mar traga o corpo em lembranças
E o conduz ao profundo estado de inconsciência
Enquanto as penas flutuam na superfície

À deriva nas ondas de sua própria vontade
Sucumbe ante o imenso peso, de seu próprio ser
Petrifica a última fagulha de esperança
Aguardando o código que lhe devolve a vida