Metáforas

-Você realmente esperava que um urso polar sobrevivesse no deserto?
-Não comece com essas metáforas! Eu te imploro.
-Você pediu minha ajuda.
-Eu sei, eu sei… me desculpe. Pode falar –disse a contragosto.
-Você sabia que isso não ia dar certo desde o inicio. Insistiu por pura teimosia, ou curiosidade, agora está ai, sofrendo. Porque quer, devo acrescentar, afinal como você mesma disse, já sabia que fim levaria essa história.
-Prefiro você com as metáforas – admiti – e com a taça cheia, já volto.
Ele ria e abanava o ar com a mão num gesto brincalhão. Abastecidos, continuamos a fatídica conversa. As vezes não vale tanto a pena pedir conselhos, pensei rindo de mim mesma.
-Como dizia no inicio – ele bebericava o vinho – um urso polar não sobrevive no deserto.
Acenei com a cabeça para que ele prosseguisse.
-Assim como um camelo não sobreviveria no polo norte. Seres tão diferentes pedem ambientes diferentes e tem necessidades diversas, que fazem com que os mesmos queiram o seu habitat natural. Você não pode joga-los em um ambiente neutro e esperar que vivam felizes. Eles tem seus instintos e vontades. Resumindo, vocês eram diferentes demais, por isso acabou…
O silêncio pairava no ar enquanto encarávamos nossas taças de vinho, refletindo. Decidi rompe-lo com uma dúvida.
-E aquela história de que os opostos se atraem?
-Atrair eles se atraem, mas o ditado diz que ficam juntos? – ele arqueava as sobrancelhas como se desferindo o golpe final, seus olhos fitavam o meu.
Estava sem resposta.
-Querida, entenda – ele prosseguiu após um tempo – opostos se atraem para que ambos aprendam algo. Lição aprendida, se separam. A vida é feita de lições, não foi o que você me disse uma vez? Então tente aprender com isso e siga em frente.
-Irei fazer isso. Depois desse gole.
-O destino é mesmo irônico – ele ria e balançava a taça na frente de seus olhos, o vinho dançava pelo vidro – somos opostos e continuamos juntos.
-Isso é verdade – assenti – será que vamos nos separar um dia?
Ele ficou pensativo. Observávamos a cidade pela varanda. Parecia que ele esperava que o horizonte iluminado lhe trouxesse respostas.
-Não sei – finalmente confessou – eu espero que não.

5 thoughts on “Metáforas

  1. Olá Gabriella! Tudo bem?
    O Carnaval acabou e podemos dizer que o ano de 2016 começou agora! rs
    Estou aproveitando o fim de semana para conhecer novos blogs e aqui estou!
    Parabéns pelo espaço, super organizado, clean e com ótimo conteúdo!
    Assim que sobrar um tempinho, faço-lhe o convite para conhecer meu espaço.

    HuG! 🙂
    http://www.andrehotter.com
    instagram: @andrehotter
    Snapchat: andrehotter

Deixe seu comentário :)